Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Investimento em I&D cresce 10% em 2021 e atinge os 3 565 milhões de euros

Tópicos

Os resultados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN) de 2021 revelam que a despesa em Investigação & Desenvolvimento (I&D) atingiu em Portugal 1,69% do PIB, situando-se nos 3 565 milhões de euros, representando um crescimento de 10% em relação a 2020.

Face a 2020, as atividades de I&D aumentaram em todos os setores, sendo as empresas as que registam um crescimento mais expressivo (+14,5%), que representa 59% da despesa nacional em I&D e 1% do PIB. No Ensino Superior também se verifica um aumento (+ 3,4%), sendo responsável por 34% da despesa. No Estado o aumento corresponde a +3,3%, que representa 5% da despesa.

Relativamente ao número total de pessoas a exercer atividades de I&D (i.e., total de investigadores, técnicos e outros profissionais) em Portugal em 2021, verifica-se um aumento (+5%) face a 2020, com 69 628 pessoas em ETI (Equivalente a Tempo Integral). Destes, 56 202 desempenham funções de Investigador, tendo aumentado 6% em relação ao ano anterior. O setor do Ensino Superior (28 864 ETI | 51% do total nacional de investigadores) e o setor Empresarial (24.617 ETI | 44% do total nacional de investigadores) concentram a maioria dos investigadores do país.

O total de recursos humanos em atividades de I&D em 2021 atinge as 12,7 pessoas (ETI) por cada mil habitantes ativos.

Os dados provisórios do IPCTN 2021 são publicados pela Direção Geral de Estatísticas de Educação e Ciência (DGEEC), com base nas metodologias harmonizadas internacionalmente pelo EUROSTAT e a OCDE.

O IPCTN é uma operação censitária, de periodicidade anual desde 2007 (era bienal desde 1982), que constitui a base de informação estatística oficial sobre recursos humanos e financeiros afetos a atividades de I&D em Portugal. Os dados definitivos serão oportunamente divulgados pela DGEEC após validação final de todos os resultados desta operação estatística.