Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

2º Concurso de Investigação em Fogos Florestais selecionou 18 projetos

Tópicos

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) divulgou esta semana o resultado da avaliação do 2º Concurso de Projetos de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico no âmbito da Prevenção e Combate de Incêndios Florestais – 2018, tendo sido recomendados para financiamento 18 projetos de investigação. No total, o concurso traduz um investimento de quase 5 milhões de euros, ao longo de três anos, para a concretização dos projetos selecionados.

Este concurso anual, que terá uma terceira edição no final deste ano, resultou da Resolução do Conselho de Ministros n.º 159/2017, de 30 de outubro, em que foi determinada a criação de um Programa de I&D para a prevenção e combate de incêndios florestais, com um envelope financeiro de 15 milhões de euros para projetos de investigação selecionados no âmbito de três concursos anuais, a realizar pela FCT entre 2017 e 2019. O objetivo deste programa é reforçar as atividades de I&D destinadas a incentivar e fortalecer competências e capacidades científicas e tecnológicas em matéria de prevenção e combate de incêndios florestais, assim como garantir a apropriação e incorporação de conhecimento científico no apoio à decisão em sistemas operacionais e facilitar a produção de novos conhecimentos orientados para a solução de problemas concretos.

Os 18 projetos propostos para financiamento neste último concurso, que recebeu no total 103 candidaturas, distribuem-se pelas seguintes áreas: Atitudes e comportamentos face à prevenção e combate de incêndios e a gestão do território, incluindo a sua vertente colaborativa (3 projetos); Gestão do fogo e comportamento de fogos extremos (1 projeto ); Gestão e valorização da biomassa nos espaços rurais (3 projetos); Modelos de ordenamento e silvicultura preventiva (1 projeto); Meteorologia, previsão e gestão do risco, incluindo deteção de ignições e otimização de aletas precoces e desenvolvimento de sistemas de observação inteligente (2 projetos); Restauro pós-fogo e gestão florestal, em diferentes escalas temporais e espaciais (1 projeto); Sistemas de sensorização, de informação e de comunicações de emergência e sua integração nos processos de decisão (2 projetos); e Saúde e segurança ocupacional dos técnicos de combate (5 projetos).