Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

9ª Edição dos Prémios Maratona da Saúde

Tópicos

MdS

Abre hoje o período de candidaturas à 9ª edição dos Prémios Maratona da Saúde 2022. O apoio deste ano dirige-se à Investigação em Doenças Infeciosas. À semelhança de edições anteriores, estes prémios visam promover a investigação científica portuguesa em diferentes áreas da biomedicina. Serão atribuídos dois prémios de 20 mil euros para as categorias de investigador júnior e sénior. As candidaturas decorrem até ao dia 17 de janeiro de 2022.

Os Prémios Maratona da Saúde 2022 distinguem dois projetos de investigação científica na área das doenças infeciosas. Os projetos devem ser desenvolvidos em Portugal. Podem candidatar-se a estes prémios investigadores e/ou médicos, portugueses ou estrangeiros, que tenham completado o doutoramento há menos de dez anos, no caso da categoria júnior, ou mais de dez anos à data de abertura deste concurso, na categoria sénior. O financiamento será atribuído por um período máximo de dois anos e com terá início entre junho e dezembro de 2022.

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) apoia a gestão logística deste concurso e propõe o painel do júri que efetuará a avaliação, que será constituído por cientistas de reconhecido mérito internacional no domínio da biomedicina. O processo de avaliação e seleção é baseado em vários critérios, entre os quais o mérito científico dos candidatos e o impacto que o trabalho de investigação proposto poderá ter na descoberta de melhores tratamentos, cura e prevenção de doenças infeciosas. A atribuição destes prémios incentiva as candidaturas que contemplem parcerias entre instituições de investigação, sediadas em Portugal, e hospitais ou outras instituições de saúde, nacionais ou estrangeiras. Depois de seriados os melhores candidatos a concurso, o Conselho Científico da Maratona da Saúde escolherá os dois vencedores de acordo com as recomendações do júri.

Na edição anterior, os Prémios Maratona da Saúde premiaram projetos de investigação em Doenças Raras, tendo sido galardoada na categoria sénior Susana Lopes, investigadora do CEDOC – Nova Medica School – Faculdade de Ciências Médica de Lisboa, pelo projeto “Combater a DCP (Discinésia Ciliar Primária), e na categoria júnior, a investigadora Sara Carvalhal, do Algarve Biomedical Center – Research Institute (ABC -RI), pelo projeto “Compreender a Contribuição dos defeitos mitóticos em doenças raras com microcefalia”.

Os Prémios Maratona da Saúde foram criados com o objetivo de promover a investigação científica portuguesa em diferentes áreas da biomedicina, e relacionados com os diferentes temas das edições da Maratona da Saúde. Esta iniciativa é financiada maioritariamente através dos donativos angariados durante o espetáculo televisivo anual da Maratona da Saúde, transmitido pela RTP. A Janssen foi um dos parceiros principais na oitava edição desta iniciativa e associará o seu nome a um dos prémios a atribuir.

Para mais informações, consulte a página do concurso.