Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Assinado contrato que renova parceria FCT- MIT por mais cinco anos

Tópicos

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) renovou a sua parceria com o Massachusetts Institute of Technology (MIT). O contrato, assinado este mês, formaliza o lançamento da segunda fase do Programa MIT Portugal, aprovada em finais de 2012. Está assim assegurada até 2017 esta colaboração pioneira na área de educação e investigação que junta universidades, indústrias e governo em torno de uma agenda comum de excelência e inovação.

Lançado em 2006, o Programa aposta na formação de recursos humanos altamente qualificados em ciência, tecnologia, empreendedorismo e inovação e no desenvolvimento e implementação de projetos de alto impacto económico e social, em áreas emergentes de engenharia de sistemas: sistemas de energia sustentáveis, sistemas de transporte, sistemas de bio-engenharia e métodos de produção avançada.

Nesta segunda fase, a tónica é colocada no reforço da inovação e do empreendedorismo, através do desenvolvimento e implementação de projetos de maior dimensão, em áreas de relevância económica, e da promoção de “laboratórios vivos” que demonstrem, através de projetos concretos, os benefícios económicos e sociais das parcerias entre universidades e empresas para o desenvolvimento de tecnologia com elevada capacidade de comercialização e exportação.

Na mesma linha, a formação de professores e estudantes no ambiente único e empreendedor do MIT pretende estimular a mudança no ensino superior em Portugal, com reflexos positivos na economia portuguesa.

Miguel Seabra, Presidente da FCT, exprime as suas expetativas para esta segunda fase do Programa MIT-Portugal, “Os desafios que se colocam são consideráveis, pois o programa terá de operar num contexto de um orçamento menor, mas temos toda a confiança que o potencial, em termos de conhecimento e produtos, criado pelo Programa MIT-Portugal na primeira fase se concretizará nesta segunda fase, através da aplicação a situações concretas do nosso tecido social, de inovação e empreendedorismo”.