Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Cientista português vence prémio internacional para melhor tese de Doutoramento em empreendedorismo

Tópicos

O prémio Heizer Doctoral Dissertation Award in New Enterprise Development, da Divisão de Empreendedorismo da Academy of Management (sediada em Nova Iorque, EUA), é atribuído a investigação doutoral excepcional, realizada nas áreas de criação, gestão, crescimento e desenvolvimento de novas iniciativas de elevado potencial, de capital de risco ou de empreendedorismo corporativo. Na edição de 2015, entre três finalistas, a tese de Sérgio Costa, investigador no INESC TEC, foi escolhida como a vencedora. Atribuída pela Univeridade de Strathclyde (Reino Unido) e intitulada “Business Model Change in Early-Stage University Spin-offs”, a tese tornou-se assim a melhor de 2015 na área de empreendedorismo e gestão.

O trabalho premiado investigou a evolução, ao longo do tempo, dos modelos de negócio adotados por spin-offs universitárias, nomeadamente como decorre o processo evolutivo; de que forma mudanças no modelo de negócio afetam a performance da empresa; como é que componentes específicas de um modelo de negócio interagem entre si ao longo do tempo. As conclusões da tese são relevantes para empresários, mas também para universidades, decisores políticos, educadores e formadores, assim como para gestores de desenvolvimento empresarial e executivos que pretendem trazer novos produtos ou serviços para o mercado.

A abordagem ao tema foi também inédita. Em vez do método tradicional, que se baseia na obtenção de uma “fotografia”, num determinado momento, do universo a ser estudado, Sérgio recorreu a uma análise longitudinal e aprofundada de oito empresas spin-off da Universidade de Strathclyde. Seguiu estas empresas durante 12 meses, recolhendo dados a partir de documentos e entrevistas, para perceber os mecanismos de alteração do modelo de negócio e o modo como estas afetam a performance das empresas.

Os resultados sugerem que empresas cujas equipas fundadoras detenham maior conhecimento de gestão e de mercado, e possuam elevada experiência em empreendedorismo apresentam, em geral, menos alterações ao modelo de negocio e uma performance superior. O mesmo se verifica para empresas que se dedicam a áreas tecnológicas e de negócio mais focadas.

O estudo mostra ainda que empresas com elevada performance tendem a interagir mais cedo, mesmo antes da sua constituição, e mais intensivamente com stakeholders para testar os sues modelos de negócio. Estas empresas tendem a estabelecer mais parcerias, com um espectro mais alargado de atores (privados e públicos), o que poderá explicar que sintam menos dificuldades no acesso a recursos.

Sérgio Costa tornou-se Professor Auxiliar (Lecturer) na School of Management da Universidade de Bath (Reino Unido). Mantém a sua posição como Investigador Convidado na Universidade de Gent (Bélgica) e a sua colaboração com o INESC TEC. Pretende continuar o trabalho iniciado no Doutoramento, como explica, “Queremos agora testar algumas das proposições induzidas na tese, utilizando amostras maiores de spin-offs de diferentes universidades e geografias. Para o efeito, o INESC TEC está a desenvolver uma base de dados com a população de todas as spin-offs universitárias portuguesas, em articulação com as bases de dados existentes em Itália, Noruega e Reino Unido.”

Sérgio Costa concluiu a sua tese em novembro 2014, sob orientação de Jonathan Levie (Universidade de Strathclyde) e Marina Biniari (Universidade de Aalto, Finlândia). Contou com uma bolsa de Doutoramento da FCT, parcialmente durante três anos, e totalmente no quarto e último ano. O INESC TEC foi um dos centros classificados como “Excelente” na última avaliação das Unidades de I&D nacionais realizada pela FCT.

(Créditos imagem: Sérgio Costa)