Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Começam hoje as Jornadas para a Estratégia de Especialização Inteligente 2014-2020

Tópicos

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), a Energia e os Materiais & Matérias Primas são os tópicos em discussão na primeira Jornada de Reflexão Estratégica, no âmbito dos trabalhos para a definição da estratégia nacional e regional de investigação e inovação (2014-2020), a qual identificará áreas em que as regiões e o País apresentam vantagens científicas e económicas, dando resposta aos desafios societais.

Organizada em parceria pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI), pela Agência de Inovação (AdI) e pelo COMPETE (Programa Operacional do Factores de Competitividade) a jornada decorre hoje no ISEG e conta com a participação de atores-chave no contexto do Desenvolvimento & Investigação e Inovação nacionais: entidades do ensino superior, centros de investigação, empresas, laboratórios de estado, associações profissionais e sectoriais e direções-gerais ou organismos de interface.

As Jornadas de Reflexão Estratégica têm como objetivo trabalhar em conjunto com estes atores para:

  • Identificar o potencial do tema/área de cada jornada como prioridade para a Estratégia Nacional de Investigação e Inovação;
  • Definir a visão e os desafios que se colocam para os próximos sete anos (2014-2020), nomeadamente no tema/área em discussão;
  • Debater instrumentos e medidas de política pública necessários para colmatar as falhas identificadas de mercado, institucionais ou de regulamentação.

Os tópicos desta jornada inserem-se no tema das Tecnologias Transversais, um de cinco temas identificados para as Jornadas Estratégicas que se irão realizar em outubro e novembro. Os restantes temas são: Indústrias e Tecnologias de Produção, Mobilidade, Espaço e Logística, Recursos Naturais e Ambiente e Saúde, Bem-estar e Território. Para cada jornada será produzido um relatório, expondo a justificação do tema em termos de pertinência e expectativas de desenvolvimento a 2020.

A Estratégia de Especialização Inteligente para a investigação e inovação é condição para uma utilização mais eficaz e eficiente dos Fundos estruturais no próximo período de programação. Também a visão nacional para 2020 estabelece que a economia portuguesa deve ser mais competitiva, criativa e internacionalizada, através do reforço das capacidades de investigação e inovação e do aumento das sinergias entre investimentos públicos e privados.