Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

FCT promove inclusão e literacia digital dos Portugueses

Tópicos

Um “Sistema Integrado para Aumento da Autonomia de Cegos” é uma plataforma digital móvel desenvolvida no Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência – INESC TEC , destinada a pessoas invisuais ou com visão reduzida. Na mesma linha de investigação foi desenvolvida uma bengala eletrónica para facilitar a mobilidade destas pessoas e ainda uma aplicação que permite receber informação geográfica através do telemóvel. A disponibilização destas tecnologias pretende facilitar a inclusão dos invisuais na sociedade digital, bem como contribuir para a melhoria da sua qualidade de vida. A ideia foi apresentada por João Barroso, coordenador do projeto e investigador do INESC TEC.

ild2015tr A pensar nas pessoas que apresentam uma deficiência mental, Tânia Rocha, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto doutro (UTAD), apresentou o projeto intitulado “Metáfora de Interação acessível para navegação Web sem recurso a texto”. No âmbito da sua tese de doutoramento, a investigadora desenvolveu um ambiente digital baseado em linguagem icónica que torna os sítios web mais acessíveis e permite ao público-alvo explorar informação eletrónica de forma autónoma.      

O programa incluiu a apresentação do resultado e impacto de dois dos projetos premiados em 2014: o “Projeto LIDIA – Literacia Digital de Adultos”, conduzido por Joana Viana do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, e o projeto “AccessWeb, Barómetro de acessibilidade web em Portugal” coordenado por Ramiro Gonçalves do INESC TEC.

Para ajudar a caracterizar e compreender a evolução dos níveis de literacia digital das várias regiões do nosso país (índice Digital Regional) foram ainda divulgados os dados atualizados do estudo realizado na Universidade do Minho por Luís Miguel Ferreira, em “Assimetrias Regionais da Sociedade da Informação em Portugal”. A sessão prosseguiu com a comunicação “Cenários (futuros) da Sociedade da Informação em Portugal”, por Luís Vidigal, da Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação (APDSI).

Recorda-se que o Prémio Inclusão e Literacia Digital é promovido pela FCT, enquanto mecenas da Rede TIC e Sociedade para a coordenação das políticas públicas para a Sociedade da Informação e do Conhecimento em Portugal. Pretende apoiar iniciativas inovadoras na área de inclusão e literacia digitais, que se apresentam como modelos de boas práticas, com capacidade de replicação ou expansão para outras regiões e/ou para outros grupos populacionais.

A edição de 2015 recebeu 58 candidaturas de entidades com projetos na área da cidadania digital. Os promotores dos projetos premiados irão receber 50.500 €, no total, para dinamizar as suas ideias inovadoras e lançá-las no mercado.

A sessão de entrega dos prémios ILD 2015 realizada na Academia das Ciências de Lisboa contou a presença e participação de Ana Sanchez, Vogal do Conselho Diretivo da FCT, e de Ana Neves, responsável pelo Departamento Sociedade da Informação da FCT.