Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Investigação em cancro gástrico, malária e gás anestésico premiada com Medalhas L’Oréal

Tópicos

As investigadoras Inês Gonçalves, do Instituto de Engenharia Biomédica (INEB), Joana Tavares, do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) e Luísa Neves, da Rede de Química e Tecnologia REQUIMTE, são as mais recentes laureadas do prémio “Medalhas de Honra L’Oréal Portugal para as Mulheres na Ciência”, que este ano celebra a sua 10ª edição.

No trabalho de investigação agora premiado, Inês Gonçalves pretende remover do estômago a bactéria Helicobacter pylori, que em casos de infeção persistente tem sido associada a cancros gástricos. O seu projeto de investigação passa por construir um novo biomaterial, em forma de microesferas, capaz de se ligar a esta bactéria e de a remover pelo trato gastrointestinal. A investigadora espera assim desenvolver um tratamento que possa ser usado em alternativa aos antibióticos.

Já Joana Tavares irá aprofundar a sua investigação sobre o parasita da malária. A investigadora pretende identificar a molécula (ou moléculas) responsáveis pelo processo que permite ao parasita, na forma injectada pelo mosquito, vencer as defesas do hospedeiro e instalar-se no fígado, uma vez na circulação sanguínea. Através deste estudo, espera poder interferir com a capacidade do parasita ficar retido na circulação hepática e contribuir com novo conhecimento para uma vacina para a malária.

O projeto de Luísa Neves reúne as áreas de ciências da saúde e ambiente e pretende desenvolver um sistema que permite a purificação do gás de anestesia e a captura de dióxido de carbono. Numa cirurgia, o dióxido de carbono produzido sempre que o doente expira, contamina o gás anestésico. O processo a desenvolver pela investigadora pretende remover o dióxido de carbono de forma eficiente e segura, o que possibilitará a reutilização do gás anestésico, contribuindo para a redução de custos hospitalares em cirurgia.

Desde 2004, as Medalhas de Honra para as Mulheres na Ciência apoiaram já 31 jovens cientistas, numa parceria entre a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), a L’Oréal Portugal e a Comissão Nacional da UNESCO (CNU). As investigadoras galardoadas receberão, para além da Medalha de Honra, 20 mil euros de financiamento para apoio do seu projeto de investigação.