Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Nova câmara de Rx: imagens 3D, mínima radiação

Tópicos

Ver o interior do corpo humano a três dimensões com doses mínimas de radiação ionizante é o que permitirá uma tecnologia inovadora em desenvolvimento no Instituto de Plasmas e Fusão Nuclear do Instituto Superior Técnico (IPFN-IST).

Seis centros de investigação europeus e uma empresa de alto valor acrescentado compõem o consórcio do projeto coordenado por Marta Fajardo, Investigadora FCT do IPFN-IST. VOXEL é um dos 26 projetos FET (acrónimo de Tecnologias Emergentes e Futuras, em inglês) do Programa Horizonte 2020 selecionados para financiamento, entre 643 propostas recebidas na última edição do concurso. O projeto conta com 3,99 milhões de Euros de financiamento, 760 mil dos quais para Portugal.

A tecnologia em que se baseia – imagem plenóptica- consiste em utilizar um sensor especial de fotografia capaz de registar a imagem e a direção dos raios de luz. Essa informação é então processada para reconstruir uma imagem em profundidade, passando de um pixel (a duas dimensões) para um elemento de volume, ou voxel (a três dimensões).

Baseada neste princípio, a nova câmara de raios-x representará uma alternativa à radiografia tradicional, com múltiplas potenciais aplicações desde a medicina dentária, traumatologia e deteção do cancro ao estudo de materiais. Para a desenvolver a equipa multidisciplinar conta com especialistas em metrologia, tomografia e reconstrução de imagem tridimensionais.

Esta nova tecnologia, afirma a coordenadora do projeto, Marta Fajardo, “permitirá realizar imagens com menor dose, contrariamente às tecnologias utilizadas atualmente, que pelo risco associado à radiação ionizante, são reservadas aos casos mais graves.”