Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

R&D Units 2017/2018 evaluation

Tópicos

(available only in Portuguese)

Está disponível no site da FCT o Projeto de Regulamento de Avaliação e Financiamento Plurianual de Unidades de I&D, a decorrer em 2017/2018. O projeto está em consulta pública durante 30 dias, até ao próximo dia 5 de junho, após publicação no Diário da República (2.ª série – N.º 79 – 21 de abril de 2017). Os comentários podem ser enviados para avalunidades@fct.pt.

A avaliação de unidades de I&D visa o desenvolvimento e a valorização do Sistema Científico e Tecnológico Nacional em todas as áreas de conhecimento, o seu fortalecimento e densificação territorial. As unidades de I&D constituem a base da organização do SCTN. Devem por isso reunir massa crítica adequada à sua missão e promover ambientes de trabalho propícios à criatividade científica, promoção de talento e desenvolvimento de carreiras científicas.

A diversidade institucional é um fator de desenvolvimento e enriquecimento do SCTN, pelo que se encoraja a consideração de modelos diversos de organização que assegurem um bom aproveitamento de recursos humanos, meios técnicos e infraestruturas, e que reforcem a afirmação internacional de Portugal. Assim, de acordo com a proposta apresentada, as unidades de I&D existentes podem optar por manter a composição e organização atual ou por se reorganizarem na configuração que considerem mais adequada.

Propõe-se que a avaliação da qualidade científica e a análise da relevância, mérito e atualidade das atividades desenvolvidas pelas unidades de I&D seja feita com base na produção científica e tecnológica dos últimos cinco anos considerada mais relevante pela unidade de I&D, privilegiando qualidade e nunca quantidade sem consideração da respetiva qualidade. Em particular, as unidades serão chamadas a selecionar a informação sobre a sua produção científica mais relevante, em vez de submeterem listas exaustivas de publicações ou referências a indicadores bibliométricos.

A proposta de regulamento assume o preconizado em memorandos e documentos internacionais de relevo, como a Declaração de São Francisco da American Society for Cell Biology, sobre a avaliação da atividade de investigação e desenvolvimento, de dezembro de 2012, e as Recomendações da Comissão sobre Autorregulação Profissional em Ciência da Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG), de setembro de 2013, e tem em conta as objeções à utilização direta de indicadores bibliométricos expressas no Manifesto de Leiden sobre a utilização de métricas na avaliação científica, de abril de 2015, de modo a consolidar na comunidade científica portuguesa o entendimento de que o conteúdo das publicações científicas e a sua apropriação académica, científica, social ou económica, é muito mais importante do que as métricas de publicação ou a sua apreciação em função das entidades que as publicaram.

O documento agora disponibilizado será ajustado de acordo com as propostas recebidas da comunidade científica. Participe!