Saltar para o conteúdo principal
Breadcrumbs

Resultados definitivos do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN20)

Tópicos

Os resultados definitivos do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN20) revelam que Portugal atingiu 3.236 milhões de euros de despesa total em atividades de I&D em 2020, o que equivale a 1,62% do PIB nacional e a uma ligeira subida face aos dados provisórios, divulgados em agosto, que apontavam para um registo de 1,58%. Estes resultados definitivos confirmam que, em 2020, a despesa total em I&D atingiu o valor mais alto de sempre, crescendo 8% (244 milhões de euros) face a 2019, num contínuo crescimento da despesa pelo quinto ano consecutivo, que supera pela primeira vez os três mil milhões de euros.

Este crescimento é particularmente expressivo no sector das empresas que cresceu 17% em 2020 (i.e., 273 MEuros). Mais de 4300 empresas registaram atividades de I&D em 2020, o que significou um aumento de 541, representando mais 14% comparativamente a 2019. 

O crescimento está associado a uma despesa em I&D pelas empresas, que representa agora 0,92% do PIB, num total de 1.844 milhões de euros em 2020, passando a representar 57% da despesa total em I&D. 

O valor da despesa total em I&D corresponde a um aumento de 8.1% face a 2019. Portugal passou a ser o segundo País da União Europeia em que a despesa absoluta em milhões de euros apresenta uma taxa de crescimento mais elevada. 

O número de investigadores na população ativa cresceu em 2020 com 10,3 investigadores por mil ativos, quando em 2019 era de 9,6. Foram registados 53.174 investigadores em equivalente a tempo integral (ETI), mais cerca de 3.008 do que em 2019 (i.e., crescimento global de 6%),

O Ensino Superior inclui 28.740 investigadores em ETI, representando cerca de 54% do total, enquanto as empresas incluem 21.979 investigadores em ETI, representando agora 41% do total. O número de investigadores nas empresas aumenta em 2.759 ETIs, representado um aumento de 13% em 2020.

O total de recursos humanos em atividades de I&D (i.e., total de investigadores, técnicos e outros profissionais) atinge 12,8 pessoas (ETI) por cada mil habitantes ativos, atingindo 66.044 ETIs em 2020. O total de recursos humanos em atividades de I&D nas Empresas também aumentou, totalizando 30.872 ETI em 2020, ou seja, mais de 4.079 do que em 2019 (crescimento de 15).

Estes valores são revelados pelos dados definitivos do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN) referente a 2020, publicados pela Direção Geral de Estatísticas de Educação e Ciência (DGEEC), com base nas metodologias harmonizadas internacionalmente pelo EUROSTAT e a OCDE.

O Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional (IPCTN) é uma operação censitária de periodicidade anual desde 2007 (era bienal desde 1982), que constitui a base de informação estatística oficial sobre recursos humanos e financeiros afetos a atividades de I&D em Portugal.

Gráfico: fonte MCTES